Disponibilidade

Após a grande crise energética de 2001, foi introduzido no sistema elétrica brasileiro, as usinas termoelétricas com contratos por disponibilidade, nessa modalidade esses empreendimentos são projetados para ficarem disponíveis 24 h/dia, a espera por despachos comandados pelo ONS (Operador Nacional do Sistema Elétrico Brasileiro), nas seguintes ocasiões: i) quando os reservatórios das usinas hidráulicas atingem níveis alarmantes, ii) quando ocorre alguma falha elétrica no SIN (Sistema Interligado Nacional), iii) quando há necessidade de se realizar intervenções no sistema de transmissão, iv) quando ocorre eventos relevantes no pais, como eleições majoritárias, v) para fazer a modulação das usinas eólicas.
 

 

Disponibilidade Operacional
 

Potência ativa, homologada pela ANEEL, que a unidade geradora, estando sincronizada ou desligada, está em condições de produzir e fornecer ao sistema. São consideradas reduções de disponibilidade operacional todas e quaisquer restrições que possam afetar sua produção normal de energia elétrica. O mesmo entendimento aplica-se às interligações internacionais.

 

Disponibilidade Comercial
 

Potência ativa, homologada pela ANEEL, que a unidade geradora, estando sincronizada ou desligada, está em condições de produzir e fornecer ao sistema, considerando-se somente restrições de responsabilidade do empreendimento de geração. São exemplos de restrições de responsabilidade do empreendimento de geração: aquelas originadas na própria unidade geradora, nos transformadores elevadores de tensão ou no ativo de conexão, assim como desligamentos para testes ou treinamento solicitados pelo agente proprietário ou operador designado pelo proprietário, atuação indevida de sistemas de proteção e problemas ambientais do empreendimento de geração.